Imitando o presidente. Deputada Raquel Lessa é acusada de praticar nepotismo - Colatina News

Recentes

04/09/2019

Imitando o presidente. Deputada Raquel Lessa é acusada de praticar nepotismo

Deputado Raquel Lessa

“Num país em que o mau exemplo é dado pelo próprio presidente da República, que tenta de toda forma nomear seu filho, mesmo sem capacidade para tal, para uma embaixada mesmo sabendo que tal prática configura nepotismo, não é surpresa deputados deitarem e rolarem em nomeações de parentes”.

A afirmação é de um servidor da Assembleia Legislativa, que pede para não ser identificado para evitar represálias, já que é contratado. A sua revolta se deve ao fato de a deputada estadual Raquel Lessa (SDD), ter emplacado seu filho Daniel Mageste Lessa, em um cargo de destaque no governo do Estado.

Além do filho, que foi nomeado para o cargo em comissão de assessor especial nível IV da Secretaria de Estado de Gestão e Recursos Humanos, com remuneração bruta de R$ 5,7 mil, a deputada Raquel Lessa conseguiu acomodar também nas tetas do Estado, a companheira dele, Daniela Lisboa.

No caso da nora, ela é subcoordenadora do gabinete da deputada e recebe mensalmente a bagatela de R$ 8,5 mil brutos por mês. “Imagino o salário do coordenador se o dela é esse absurdo. Aliás, para que subcoordenadora, se o gabinete já possui um coordenador?” indaga o servidor revoltado.


“É uma vergonha o que fazem com o dinheiro público. Esse pessoal é eleito para nos representar, mas acabam é beneficiando amigos e parentes, fazem farra com o dinheiro público e o eleitor mesmo que se dane. Essa deputada é useira e vezeira em usar mordomias com dinheiro público”. Denuncia o servidor.

Ex-prefeita de São Gabriel da Palha, no Noroeste do Estado, Raquel Lessa chegou a ter os direitos políticos cassados ao ser condenada em uma ação ajuizada pelo Ministério Público, que a denunciou e ao secretário Municipal de Obras e Serviços Urbanos da época, Paulo Roberto Valentim.

Os dois foram acusados pelo MPES de causarem prejuízos aos cofres públicos com a contratação de uma empresa de prestação de serviços de limpeza pública, que não manteve a quantidade mínima de empregados para cumprir o contrato, e mesmo assim fez o pagamento integral do contrato.




                 

9 comentários:

  1. Qual é a novidade? Para esses sanguessugas dos recursos públicos tudo e para nós, que os colocamos lá, nada.

    ResponderExcluir
  2. José Justino Silva4 de setembro de 2019 09:16

    Tudo bandido, começando pelo chefão da corrupção lá de cima. Estamos perdidos, meus amigos

    ResponderExcluir
  3. Mariel Rodrigues Cortes4 de setembro de 2019 09:18

    A culpa disso é esse judiciário conivente. Se todo político bandido fosse julgado com a rapidez que julgaram o Lula, passando até por cima de processos que já estavam na fila há mais de vinte anos, a corrupção seria reduzida drasticamente.

    ResponderExcluir
  4. Anselmo Carlos Bermudes4 de setembro de 2019 09:19

    Esperar o que de um país onde um juiz se uniu a procuradores corruptos para formar uma organização criminosa de toga? O Brasil virou casa da mãe joana e não tem conserto.

    ResponderExcluir
  5. Agildo Lopes Gonçalves4 de setembro de 2019 09:22

    Quando ela foi prefeita aqui em São Gabriel a administração era uma verdadeira organização criminosa. A corrupção imperava, mas o povo é safado e pouco se lixa se o político é bandido ou não e volta com ele para o poder e depois fica reclamando.

    ResponderExcluir
  6. Adamael Gusmão Bittencourt4 de setembro de 2019 09:32

    Essa política cara lavada é pior que o marido, que quando era prefeito fez uma limpa na cidade.

    ResponderExcluir
  7. Olha a cara porca dela. Tá na cara que gosta de uma farra com as coisas públicas. Mal de família.

    ResponderExcluir
  8. Karla Maria Nepomuceno4 de setembro de 2019 13:17

    Essa não tem respeito pelo dinheiro público e nunca teve. Quando era prefeita dessa cidade ela chegou a comprar um aviãozinho velho que tinha em Ibiraçu não se sabe para que. E segundo consta foi caro o tal avião velho, que ficava próximo a uma pastelaria em Ibiraçu e não valia pra nada.

    ResponderExcluir
  9. Milton José Vergueiro4 de setembro de 2019 13:28

    Essa não é a primeira vez que essa daí se beneficia com as benesses do dinheiro público. Quem não se lembra dela viajando com dinheiro público e deixando de comparecer as sessões da assembleia? Pau que nasce torto até a cinza é torta. Na certa aprendeu com o marido.

    ResponderExcluir

Receba nossas noticias!