Morte de radialista assassinada pelo companheiro é lamentada por famosos - Colatina News

Recentes

google.com, pub-2151647549971277, DIRECT, f08c47fec0942fa0

31/03/2021

Morte de radialista assassinada pelo companheiro é lamentada por famosos

A radialista Evelyne em um de seus programas radiofônicos

Famosos como o cantor Franco Finato, o Kiko da Banda KLB, ex-BBB Elis Nair, Adriana Sanchez, MC Jenny e Diego Faria, lamentaram a morte da radialista e apresentadora de TV, Evelyne Ogawa, 38 anos, morta por asfixia pelo marido Vinícius Camargo na noite de sexta-feira, 26, com um fio elétrico.

 

O crime só veio à tona na tarde de sábado, 27, depois que o assassino se apresentou na 26ª Delegacia de Polícia de Samambaia na companhia de um advogado, e confessou o crime. Evelyne Ogawa foi sepultada na manhã de segunda-feira, 29, no Cemitério Campo da Esperança da Asa Sul, em Brasília.

 

Policiais civis foram até o apartamento de Evelyne, que estava trancado, após a confissão do assassino e encontraram seu corpo estirado no chão. A vítima deixa órfão um filho de sete anos. As investigações seguem no sentido de apurar a motivação para o crime que chocou familiares, amigos e fãs.

 

Vinicius tirou a vida de Evelyne usando um fio elétrico

Evelyne e Vinicius mantinham um relacionamento há mais de três anos e, segundo apurado pela polícia, ele já tinha antecedentes criminais por ter agredido a estudante Eslândia Rodrigues, 26 anos, em 2017. Segundo testemunhas, no dia 18 ele saiu de casa e não deu notícias, razão pela qual Evelyne proibiu sua entrada no Condomínio em que moravam.

 

O delegado responsável pela elucidação do crime disse que pelo fato de Vinicius Camargo ser o próprio autor da comunicação do fato à polícia, e por estar acompanhado de seu advogado, foi liberado, conforme prevê a legislação em vigor. Ele destaca, ainda, que o crime segue em sigilo e não deu detalhes.

 

Idealizadora do Desfile Beleza Negra, a produtora Dai Schimidt usou as redes sociais para pedir justiça pela amiga Evelyne. “Meu coração chora, amiga. Não consigo acreditar que você entrou hoje para a estatística do feminicídio”, escreveu Dai Schimidt. Conheça um pouco do trabalho de Evelyne no vídeo:

 


 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba nossas noticias!

Baixe nosso aplicativo!

Baixe nosso aplicativo!
Aqui o acidente é fatal e não a vítima, bandido não é tratado como suspeito, distrito não é chamado de vila e a notícia é divulgada nua e crua, sem medo. Baixe o App e tenha as notícias na palma de sua mão. Para baixar nosso aplicativo clic na imagem!