Mulher é morta a facadas por ex-companheiro que não aceitava a separação - Colatina News

Recentes

12/08/2019

Mulher é morta a facadas por ex-companheiro que não aceitava a separação

Crime em Santa Luzia poderia ter sido evitado segundo a família da vítima
Apesar de todas as tentativas, inclusive com criação de leis rigorosas, a violência contra a mulher cresce assustadoramente em todo país, e na maioria das vezes a culpa é das autoridades que não dão atenção ao pedido de socorro da vítima, e muitas vezes só agem depois que o crime já foi consumado. 

A vítima mais recente foi a dona de casa Alessandra Cristiane Solane, 46 anos, que foi assassinada a facadas no domingo, 11, pelo ex-companheiro Luiz Carlos dos Santos, 49 anos, dentro de casa, no Bairro Asteca, em Santa Luzia/MG. O assassino fugiu do local do crime, mas acabou sendo capturado. 

O corpo de Alessandra foi encontrado por familiares, que acionaram a polícia. No local do crime os peritos apreenderam uma faca de açougueiro utilizada para praticar o homicídio. Após rápido exame, os peritos constataram uma perfuração no peito da vítima, cujo corpo foi encaminhado ao IML mais próximo. 


A morte de Alessandra poderia ter sido evitada, se as autoridades tivessem dado atenção ao seu caso. Ela, segundo a família, havia registrado diversas queixas contra Luiz Carlos por ameaças, mas nada era feito contra ele, que não aceitava a separação e fazia de sua vida um inferno, segundo testemunhas. 

As brigas entre o casal eram constantes, segundo os vizinhos, e as agressões eram frequentes. Por diversas vezes Alessandra procurou ajuda da polícia, mas nada era feito e Luiz Carlos continuava livre e violento. A certeza da impunidade o deixou cada vez mais violento, até que tirou a vida da ex-companheira. 

“Essa e a situação das mulheres em nosso país. As vítimas procuram a ajuda da polícia, registra queixas, pede socorro, mas nada é feito. Não existem providências preventivas e a polícia só atua depois que o crime já foi consumado. A morte de muitas mulheres poderia ter sido evitada se a polícia cumprisse sua função”. 

O desabafo é de um familiar de Alessandra, que pretende entrar com uma ação contra o Estado pela negligência. “A Alessandra, uma mulher tão feliz, simpática e disposta a ajudar a todo mundo, acaba morta por um covarde, que daqui uns dias estará solto, pronto para matar outras mulheres”, finaliza ela chorando. 





4 comentários:

  1. Esse covarde tinha que ser morto. Assassino desgraçado

    ResponderExcluir
  2. Adalberto Vilarino13 de agosto de 2019 05:13

    E o pior é que os familiares dela tem razão. Oitenta por cento dessas mortes poderiam ser evitadas se a polícia fizesse sua parte. Polícia incompetente, totalmente incapacitada.

    ResponderExcluir
  3. Maria das Dores Nunes da Costa13 de agosto de 2019 07:05

    As mulheres precisam começar a agir com urgência contra esses homens, pois contar com essa polícia relaxada e preguiçosa ou com a justiça não adianta. Precisamos tomar uma atitude urgente e para isso precisamos nos unir.

    ResponderExcluir
  4. Maria de Lourdes Cipriano Benevides13 de agosto de 2019 07:46

    É uma covardia que não tem tamanho. Quase todo dia uma mulher é morta por falta de atitude por parte de nossas autoridades. É preciso criar leis que protejam a mulher de verdade, e não leis inofensivas, como essa Maria da Penha, que o cara não é condenado, não vai preso, e se vai, paga fiança e volta pra casa. E o que é pior. Nós procuramos a polícia para nos proteger e não encontramos apoio. A polícia só age depois que a mulher já está morta. Alguma coisa urgente precisa ser feita e a primeira delas seria a revogação dessa lei inútil chamada Maria da Penha, com a criação de uma lei mais eficiente.

    ResponderExcluir

Receba nossas noticias!