Mulher que estava desaparecida foi morta a marretada e teve corpo queimado - Colatina News

Recentes

18/06/2020

Mulher que estava desaparecida foi morta a marretada e teve corpo queimado

Lilian foi morta a mando de Jucelino

Finalmente a Polícia Civil anunciou na segunda-feira, 15, que Lilian de Oliveira, 40 anos, desaparecida desde fevereiro último ao desembarcar no Aeroporto de Goiânia/GO, foi assassinada e teve o corpo queimado dentro de uma fornalha de laticínio pertencente a Jucelino Pinto Fonseca, mandante do crime.

De acordo com as investigações, Jucelino manteve relacionamento extraconjugal com a vítima e estava revoltado por ela já estar em outra relação. Em vista disso, propôs a Ronaldo Rodrigues Ferreira o perdão de sua dívida de R$ 20 mil, caso ele matasse Lílian, proposta aceita e serviço realizado.

Ao ser preso Ronaldo contou ao delegado Thiago Martiniano, responsável pelas investigações, que matou Lílian com uma marretada na cabeça e em seguida, com a ajuda de Jucelino, queimou seu corpo juntamente com seus objetos pessoais e descartaram a cinza no local onde descartam as cinzas do laticínio.

Jucelino e Ronaldo foram indiciados pelos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver, além de várias outras qualificadoras, entre elas a de motivo torpe, sem chance de defesa à vítima e mediante pagamento ou promessa de recompensa, segundo informou o delegado Thiago Martiniano.

Fornalha onde o corpo de Lilian foi carbonizado
Apesar de Ronaldo ter confessado a prática do crime, seu advogado, Divino Diogo Leite, disse que seu cliente não cometeu o homicídio e que entregou Lilian ainda viva a Jucelino. Ronaldo, que é motorista e foi visto buscando Lilian no saguão do aeroporto, em depoimento explicou com detalhes como cometeu o crime.

Ronaldo contou que entre Goiânia e Bela Vita Lilian dormiu por causa da viagem. Então ele parou o carro e desferiu o golpe de marreta na cabeça dela, que morreu na hora. Disse, ainda, que já tinha combinado com Jucelino que levaria o corpo da vítima para o laticínio quando o expediente já estivesse terminado

Mesmo casado, Jucelino manteve um relacionamento com Lilian, com quem teve uma filha. Atualmente ela estava morando na Colômbia com outro homem e Jucelino não se conformava com o término do relacionamento de ambos. De acordo com o delegado Martiniano, a mulher de Jucelino não sabia de nada.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba nossas noticias!