Ameaça ao cadeirante. Grupo de Direitos Humanos entra no caso em favor da vítima - Colatina News

Recentes

14/10/2020

Ameaça ao cadeirante. Grupo de Direitos Humanos entra no caso em favor da vítima

Lindomar foi esculachado, humilhado e ameaçado por meio de áudio

O GADH (Grupo de Apoio aos Direitos Humanos), que atua nas regiões Norte e Noroeste do Espírito Santo, com sede em Linhares/ES, encaminhou uma Representação ao Ministério Público de Rio Bananal, no Norte do Estado, solicitando que o órgão tome providências no caso das ameaças ao cadeirante.

 

O cadeirante em questão se trata de Lindomar Mazoti Berti, residente no Distrito de São Jorge Tiradentes, em Rio Bananal. Ele foi ameaçado pelo indivíduo Claudinei Inocente, que lhe enviou áudios pelo WhatsApp, e em tom de ameaça afirmou que se o encontrasse na rua “metia a mão em sua cara”.

 

No áudio, que foi encaminhado ao Ministério Público para servir de prova de que a ameaça realmente existiu, Claudinei, que parecia estar totalmente descontrolado, xingava muito e fazia ameaças sem parar. “Se você fosse um homem de verdade te quebrava na porrada”, disse ele visivelmente enfurecido.

 

Intolerância e truculência contra pessoas contrárias

 

Segundo informações, Claudinei, que é defensor assíduo do prefeito Felismino Ardizzon (PSB), ficou uma fera porque Lindomar divulgou nas redes sociais um vídeo onde mostra a péssima administração de Felismino, que durante quatro anos de mandato nada fez pelo Distrito de São Jorge Tiradentes, onde reside.

 

Segundo informações obtidas pelo Colatina News, Claudinei não aceita que as pessoas reclamem da administração e vive criando confusões com pessoas contrárias ao prefeito. “Ele não nunca respeita as nossas opiniões”, enfatiza um morador, que pede para não ser identificado por medo de ser ameaçado.

 

O pedido de diligências no sentido de apurar as ameaças contra o cadeirante Lindomar Berti foi protocolado na Promotoria de Justiça de Rio Bananal nesta quarta-feira, 14. A partir de agora o promotor de justiça deverá analisar as provas para decidir se fará encaminhará ou não Denúncia ao Judiciário.

  



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba nossas noticias!