Escrivã de Polícia morre eletrocutada ao atender celular que estava sendo carregado - Colatina News

Recentes

23/07/2020

Escrivã de Polícia morre eletrocutada ao atender celular que estava sendo carregado

Néria saiu do banho para atender  o celular

A morte da escrivã de Polícia Civil do Mato Grosso, Néria Regina Padilha, 42 anos, eletrocutada ao atender o celular, chama atenção para o perigo de usar o aparelho quando ele está sendo carregado. Ela, que morreu na noite de quinta-feira, 16, em Cuiabá, estava tomando banho e saiu para atender o telefone.

Segundo informações da polícia, Néria saiu do banheiro para atender o telefone que estava carregando em uma extensão, acabou tocando em um fio desencapado e sofreu uma descarga elétrica. O choque foi tão forte, que a escrivã morreu na hora. Seu corpo só foi encontrado no dia seguinte.

Uma vizinha estranhou o fato de a policial não ter sido vista naquele dia e tentou falar com ela sem sucesso. Em vista disso, a vizinha entrou em contato com a polícia, que esteve no local, e ao entrar na casa, encontrou Néria caída, com um fio de extensão onde o celular carregava, todo derretido e encostado na perna.

Néria, que atuou muitos anos na GCCO (Gerência de Combate ao Crime Organizado) com o delegado Luciano Inácio, na DHPP (Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa) e na Força Nacional, estava lotada na Deletran (Delegacia de Trânsito). Sua morte chocou familiares, amigos e colegas de serviço.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba nossas noticias!